Monday, February 27

I got my visa!

Eu consegui!!!
Agora sim, posso afirmar que serei Au Pair daqui 15 dias! Preciso agradecer a minha mãe, que me deu total força e apoio desde o visto negado até a linda aprovação de hoje! E, claro, agradecer com muito carinho à todas vocês que torceram, me ajudaram e desejaram toda a sorte que precisei hoje! =D
Depois de ter o visto negado o primeiro passo é re-agendar e, infelizmente, pagar tudo outra vez. Avisar a host family foi bem triste, mas agradeço a eles pelo apoio que me deram e pela carta que escreveram para mim! Como eu não sabia ao certo o exato motivo pela reprovação na primeira tentativa, providenciei muita documentação e fui munida dessa vez. Ao preencher o DS-160, mudei algumas coisinhas, coloquei que minha mãe estava pagando a viagem e que estava estudando. Dessa vez cheguei no Consulado em SP às 5h e tinham 8 pessoas na minha frente. Às 6h30 o portão se abriu e tudo foi bem rápido! Fui a 5ª a ser chamada na Pré-Entrevista, tirei as digitais rapidamente também e fui para fila da Entrevista com 6 pessoas na minha frente. Apenas 1 guichê aberto, o 14, com uma Consulesa negra simpática que aprovou os dois primeiros e quando chegou minha vez, o guichê 13 se abriu e um Cônsul sério me chamou.
Cônsul: Bom dia!
Gisella: Bom dia!!
C: Primeiro visto, Gisella?
G: Sim, o primeiro!
C: Você já teve um visto negado, quando?
G: Sim, infelizmente, foi dia 10 de fevereiro.
C: Para onde você vai?
G: Nova Iorque!
C: O que fará lá?
G: Serei Au Pair!
A partir daqui, tudo em English
C: Então você fala Inglês?
G: Sim!
C: Você trabalha?
G: Sim, sou professora auxiliar numa escola bilíngue e o diretor escreveu essa carta dizendo que me contratará novamente, quando eu retornar, daqui 1 ano, mas como professora de inglês já que serei fluente quando eu voltar!
C: Você estuda?
G: Sim, faço pós-graduação, mas irei suspender meu curso para realizar este intercâmbio e quando eu voltar, no próximo ano, irei concluir e começar meu mestrado em educação!
C: Você fez faculdade, quando?
G: Fiz Pedagogia em 2009.
C: Você mora com sua mãe e irmão, certo? O que ela faz?
G: Sim, minha mãe trabalha há 25 anos na multinacional .... e além disso, ela tem uma loja de bijuterias. Eu trabalhei lá e hoje é meu irmão quem trabalha lá.
C: Quanto sua mãe ganha?
G: Aproximadamente R$........
C: Quantos anos seu irmão tem?
G: Ele tem 21 anos.
C: E você?
G: 24 anos.
C: Ok, seu visto foi concedido, pode pagar a taxa do Sedex.
G: Thank you so much!!!
Saí do guichê muito feliz, com um sorriso de orelha a orelha e quando abri a porta, vi minha mãe que já acenou e eu gritei que havia conseguido! Paguei com gosto os R$22 do Sedex e fui abraçar minha mãe!
Agora tenho muita coisa para resolver em pouco tempo, trabalho só até quarta-feira e vou correr atrás da PID e demais coisas!
De experiência ficou que devemos preencher com muito cuidado o DS-160, na entrevista precisamos ser convincentes e não dizer apenas sim ou não, ou seja, ser curta e grossa, como fui orientada em minha agência. Muito pelo contrário, temos que nos expressar, dizer com certeza e elaboradamente. Na primeira vez não levei muitos documentos e me foi pedido tudo. Dessa vez levei tudo e não foi pedido nada. Mas sempre é bom mais que menos, então minha dica de documentação é:
Documentos Necessários:
- Confirmação de Agendamento;
- Confirmação do DS-160;
- Passaporte;
- Foto 5x7;
- Recibo Citibank;
- DS2019 (J1);
- Taxa Sevis.
Documentos de Auxílio:
- Placement;
- Carta de apoio da agência dos EUA;
- Carta de apelo da host family;
- Diploma ou Comprovante de Matrícula/Trancamento Faculdade;
- Carteira de trabalho;
- Carta do empregador dizendo que a contratará novamente;
- Imposto de renda dos pais e familiares;
- Carteira de trabalho dos pais;
- Escritura de imóveis;
- Extrato conta corrente e poupança dos pais;
- Documento de carro e/ou moto...
E, claro, ter fé e não desistir nunca. Me diziam os comentários que não havia me abalado e estava disposta a enfrentar... Sim, não desanimei em momento algum! Tive medo, não chorei... Me questionei, pesquisei, perguntei, ensaiei, rezei... Dormi pouco, mas hoje comemorei e agradeci por essa conquista! Obrigada mais uma vez pelos comentários que me fizeram muito bem! ^^

Sunday, February 26

Preenchendo o DS-160

 Passo-a-passo...
Como tive que preenchê-lo duas vezes, resolvi elaborar eu mesma um tutorial com imagens que salvei durante o preenchimento e dar as minhas dicas e sugestões para as futuras candidatas a Au Pair que ainda irão passar por essa parte do processo. Quem estiver indo pela agência Experimento, o APIA, pode seguir a risca, os endereços do local do treinamento e tudo!

 Acesse este endereço: https://ceac.state.gov/genniv/
Selecione Brasil e o estado do consulado e clique em Start Application
Próxima página, ou teste a foto, ou clique em Start a New Application
Anote seu ID, responda a pergunta de segurança e clique em Continue
 Informações Pessoais 1:
   Informações Pessoais 2:
   Endereço e telefone:
   Passaporte:
   Informações da viagem:
 10º  Companhia na viagem?:
 11º  Viagens anteriores:
 12º  Treinamento: (desatualizado; o endereço mudou!)
 13º  Mãe e Pai:
 14º  Estudo e/ou Trabalho:
 15º  Contatos de referências:
 16º  Taxa Sevis e informações sobre escola:
 17º  Escolher e confirmar a foto (lembre-se, nada de make up, cabelo deve estar preso, deixando visíveis as orelhas, testa e sobrancelhas, o fundo deve ser branco, os ombros devem estar cobertos e a roupa não pode ser branca):
 18º  Assinar e enviar:
 19º  Confirmação:
Pronto! Agora é só imprimir e levar no grande V-Day! Boa Sorte!!! =D

Friday, February 10

Visto Negado

Aconteceu comigo...
Depois que recebemos o e-mail da agência comunicando o Match oficial, temos que agendar o dia da entrevista do visto. No caso da APIA, contamos pelo menos 10 dias úteis para recebermos os documentos e agendamos. Agendar o visto é muito fácil, mas tem um custo de R$38. Depois, fui tirar a foto 5x7 e pedi para salvarem no meu pen drive, na minha cidade não teve custo adicional. Assim que recebemos o placement (endereço da host family) em casa, já podemos preencher online o DS160 que é um pouquinho longo, mas simples também. Eu consegui sozinha, mas fui seguindo as dicas do blog da Anna que também é da APIA (mas acabei fazendo aqui um tutorial com imagens). Depois que preenchi o DS160, imprimi a confirmação: 
Como na minha cidade não tem Citibank, fui em Campinas pagar a taxa de U$140 (R$252) e depois fui na Experimento receber as orientações para a entrevista. Separei os documentos para levar: confirmação do agendamento, confirmação do DS160, DS2019 (J1), taxa sevis, recibo Citibank, passaporte, placement, diplomas das faculdades, carteira de trabalho, carta do diretor da escola que trabalho, escritura do terreno, documento do carro, extrato da conta e imposto de renda da minha mãe. Saí de casa 5h, minha mãe foi comigo. Entrei na fila pouco mais das 6h e não estava tão grande. Lá dentro eles conferem os principais documentos e grampeiam tudo. Depois de passar pelo detector de metais seguimos para uma fila onde dizemos o motivo da viagem, entregamos o passaporte e os documentos grampeados, recebemos uma senha e um papel laranja que será anexado ao envelope do sedex. Quando a senha é chamada, recebemos nos guichês verdes, de pré-entrevista tudo de volta e seguimos para a fila das digitais. Nos guichês vermelhos, colocamos a folha do DS160 'colada' no vidro e tiramos as digitais. Depois, somos encaminhados para a fila dos guichês azuis, os da entrevista. Nessa fila recebemos o envelope e usamos nossa própria caneta para ir preenchendo nosso endereço e tal... Nessa fila estava tranquila e fiquei observando os cônsules.. Minha vez chegou, me encaminharam para o guichê 15, com uma japonesa que já não tinha ido com a cara e começou a entrevista:
Consulesa: Bom dia.
Gisella: Bom dia!
C: Qual o motivo da viagem?
G: Au Pair.
A partir daqui, em English:
C: Por que quer ir para os EUA?
G: Porque eu quero melhorar o meu Inglês.
C: Você estuda?
G: Não.
C: Você fez faculdade?
G: Sim, Pedagogia e Comércio Exterior.
C: Quando você se formou?
G: Pedagogia em 2009 e Comex em 2011.
C: Qual faculdade?
G: Max Planck.
C: Eu não entendo. Escrever nessa papel para mim por fafor.
G: Sure! (escrevo o nome)
C: Você trabalha?
G: Sim.
C: O que você faz?
G: Sou professora auxiliar.
C: Com quem você mora?
G: Com minha mãe e meu irmão.
C: E o seu pai?
G: Ele já morreu.
C: O que sua mãe faz?
G: Ela trabalha no departamento comercial de uma empresa.
C: Iqwertyuiopasdfghjklzxcmom?
G: Sorry....?
C: Iqwertyuiopasdfghjklzxcmom?
G: (Cara de desespero)
C: Eu poteria fer imposta de renda de seu mãe?
G: Thank's, sure...
C: Eu poteria fer tampem extrata banco de seu mãe?
G: Uhummm...
C: (digita muito) Você já viajou para fora do Brasil?
G: Apenas para Argentina e Paraguai.
C: O que fará nos EUA?
G: Eu vou cuidar de 5 crianças...
C: (Cortou) Pegue o telefone.
C: Eu não poder conceder visto pra focê, sinto muito.
G: Mas por quê?
C: Esse carta explicar melhor.
G: Me deixe entender ao menos o motivo?
C: Não escutar focê, eu não posso, pote ir, cchau.
(A carta é a mesma para todos e diz que fui considerada inelegível para obter um visto de não-imigrante, que devo convencer que me qualifico para o tipo de visto, que retornarei após a estada e que para isso, devo demonstrar vínculos sociais e econômicos. Diz também que poderei requerer o visto outra vez, mas somente quando houver mudança significativa e que isso não garantirá que receba decisão diferente.)
Então, saí do guichê e do consulado para encontrar minha mãe, que me esperava, tadinha, sentada na calçada, rezando por mim... Quando contei que tive o visto negado, ela ficou mais triste do que eu. Pegamos o carro no estacionamento e fomos para a agência Experimento em Campinas contar para minha orientadora que ficou surpresa também, já que tinha me dado certeza, pois eu tinha todos os documentos e tal...
Agora escreverei um e-mail para a host family contando que não tive sucesso com o visto, mas que irei recorrer e precisarei contar com a ajuda deles escrevendo uma carta de apelo para mim. A agência também providenciou outra carta de apoio e minha mãe, tadinha de novo... além de ir comigo mais uma vez daqui a umas duas semanas, terá que providenciar mais documentação para comprovarmos que somos pobres, mas não tão 'pé-rapados' assim! Minha mãe tem uma loja de bijuterias, mas nem quis citá-la... Agora farei questão neh. E apresentei apenas o extrato da conta corrente da minha mãe, agora apresentarei também o da poupança... Coisas assim... Vamos ver se dará certo da próxima vez! O pior de tudo é ter que pagar tudo de novo!
Pesquisei blogs de meninas que também tiveram seus vistos negados e das 8 Au Pairs, 2 tiveram negados novamente e ambas desistiram do programa.
Não sei exatamente o motivo pelo qual a fez negar, pois ela não disse, mas acredito que tenha sido, principalmente a questão financeira, já que no imposto de renda da minha mãe não consta imóvel, mas se vocês tiverem certo conhecimento e ao lerem minha entrevista conseguirem identificar, por favor, comentem aqui! Precisarei dessa ajudinha, porque não quero ter que desistir de ser Au Pair... Estou tão animada com a minha família! Obrigada pelo apoio e companhia de sempre! ^^